• Capitolina Revista

As personagens da minha vida

Coluna de Gabriela Ruivo Trindade com Sandro William Junqueira





Meursault


Acusaram-no de ser um filho sem lágrimas. Um homem sem afetos. Disseram que a moral e a empatia lhe eram tão ligeiras como dar um mergulho no mar ou fumar um cigarro após uma refeição frugal. Num dia de sol e muito calor, e por causa do sol e do muito calor, matou quase por acidente um homem numa praia deserta. Das absurdas exigências à sua incapacidade de sentir, até à condenação à morte por não ter chorado no funeral da mãe, Meursault aceitou tudo sem o mais leve estrebuchar da alma e nenhum remorso. Ele sabe que viver um dia em liberdade é o quanto basta para se ser feliz. E que nada podemos fazer, senão entregarmo-nos, perante a voraz indiferença do mundo.



Sandro William Junqueira - Foto © Jorge Vaz Gomes

Sandro William Junqueira nasceu em 1974.

Publicou:

O Caderno do Algoz - Caminho 2009 Um Piano para Cavalos Altos - Caminho e Leya Brasil, 2012

No Céu não há Limões - Caminho 2014

(Finalista do Grande Prémio do Romance e Novela da Sociedade Portuguesa de Autores 2015)

A Cantora Deitada - Caminho 2015

(Nomeado Melhor Livro Infantil-Juvenil para o Prémio Autores 2016 - SPA)

A Grande Viagem do Pequeno Mi – Caminho 2016

Quando as Girafas Baixam o Pescoço – Caminho 2017

(Nomeado Melhor Romance para o Prémio Autores 2018 - SPA)

As Palavras que Fugiram do Dicionário – Caminho 2018

(Vencedor do Melhor Livro Infantil-Juvenil para o Prémio Autores 2018 - SPA)

Autor das peças de teatro “Os Anjos Tossem Assim”, “Medronho” e “O Presente de César”.

Tem textos traduzidos para Inglês, Alemão, Bulgaro e Neerlandês.

É atualmente o coordenador dos projetos PANOS – palcos novos palavras novas e KCENA no Teatro Nacional D. Maria II.

105 views

STAY CONNECTED

  • Facebook Clean