• Capitolina Revista

Ellen Lima




Yby,

́Y,Ybytu, Tatá


Ixé ygara voltando para `y’kûá.

Ixé ybyrá de raízes que voam.

Xe r-oka é o vento,

Xe r-oka é a água.

A-guatá pelo mundo,

As vezes longe de casa,

As vezes perto de mim.

Xe r-oka é a terra

Da floresta, da ilusão do ocidente,

estrada, fumaça ou curupira.

Longe ou perto de casa

sou yby r-aîyra.


Yby


A poranduba fazia calar:

mamõ-pe ere-îkobé?

Não sabia explicar

que venho de uma casa

com chão de água

e parede de ar.

Que na frente tem a estrada de barro,

e caminhos marcados de grão,

vindo e indo pra todo lugar.

casa, floresta ou cidade

não sabe de identidade

só sabe ser o que é.

A-ikobé mim pupé.


índice:

Poranduba – pergunta / Mamõ-pe ere-îkobé – de onde você é/onde

você vive? / A-ikobé – eu venho/seu moro / Pupé – em/dentro de.


*****

A AUTORA


Ellen Lima é professora, artista, poeta e mestra em Artes. Nasceu no Rio de Janeiro e é indígena de origem Wassu Cocal (Maceió-AL). Atualmente cursa o doutoramento em Modernidades Comparadas: Literaturas, Artes e Culturas na Universidade do Minho, em Braga, onde mora.

20 views0 comments

Recent Posts

See All